YOGA – UMA FILOSOFIA DE VIDA

 

O Yoga tem se difundido muito nas últimas décadas e hoje em dia é praticado em academias, espaços alternativos, clínicas, entre outros. Está presente em várias publicações e atividade física de vários artistas e personalidades.

Como filosofia de vida é um mapa, um caminho que nos leva a algo maior se assim o quisermos. É a nossa própria vida vista e revisada.

Desde os primórdios o yoga visa a transformação do indivíduo e tem no seu escopo ferramentas como os pránayamas, ásanas e meditação, atenção e a tomada de consciência de nós mesmos. É a arte de viver com equilíbrio e harmonia em meio às atividades do dia-a-dia. É estar presente no que se está fazendo. É um constante estado de atenção, interação com tudo que nos rodeia e consigo mesmo.

Sobre seus benefícios, muito se tem falado – pesquisas têm sido feitas, comprovando seus efeitos sobre o corpo físico, mente e emoções.

A prática regular de yoga traz alguns benefícios como:

  • – flexibilidade
  • – fortalecimento muscular
  • – trabalha a coluna vertebral
  • – o sistema nervoso
  • – o sistema endócrino
  • – o sistema respiratório
  • – o sistema circulatório
  • – regula o peso por estimulação da tireóide
  • – irrigação cerebral
  • – aumento da consciência corporal
  • – melhora da coordenação motora

As origens

O yoga como conhecemos hoje é a união de várias gerações da cultura yogi codificada por Patañjali no Yoga Sútra
ou Aforismos do Yoga.

O sistema de Patañjali divide o yoga em oito partes:

  • Ashtanga (asht = oito + anga = parte)
  • – Yama: relacionamento com o mundo exterior
  • – Niyama: relacionamento com o mundo interior
  • – Ásana: estabilidade e conforto na postura
  • – Pránayama: regularização da respiração, manipulação da energia vital
  • – Pratyahra: cessação da influência dos estímulos externos
  • – Dhárana: concentração em um único objeto
  • – Dhyana: meditação – o processo de concentração adqüire fluidez
  • – Samadhi: compreensão real do objeto escolhido em dhárana

Yama e niyama trazem equilíbrio ao yogi e o mantêm em harmonia com seus semelhantes. Os ásanas conservam o corpo saudável, forte e em sintonia com a natureza. Conquista o corpo e torna-se um veículo apropriado para atingir os estágios mais avançados de consciência. Os primeiros três estágios são os esforços exteriores.

Os dois estágios seguintes, pránayama e pratyahara, ensinam o praticante a regularizar a respiração, controlando assim a mente. Isso ajuda a liberar os sentidos dos objetos. Esses dois estágios do Yoga são conhecidos como os esforços interiores ou (antaranga sadhana).

Dhárana, dhyana e samádhi constituem o samyama. São as técnicas mentais essenciais do Yoga, diferem entre si somente no grau de concentração.

NAMASKAR!

Escrito por

Psicoterapeuta Junguiana pós-graduada pela FACIS e IJEP e Expertisse em Terapia Floral de Bach.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s